fbpx

Devo utilizar capital próprio ou capital de terceiros para abrir minha empresa?

A duas importantes decisões que a administração financeira deve se preocupar é: onde investir e de onde tirar os recursos para realizar esses investimentos (fontes). Hoje discutiremos as fontes dos recursos.

 

Os recursos podem ser oriundos de: capital próprio ou capital de terceiros.

 

           1. Capital Próprio:

O capital próprio é aquele dinheiro que você, dono da empresa, disponibiliza para realização do investimento. É um recurso seu, que você economizou por um período, ou que ganhou de herança, loteria ou doação.

Mas o que tem que ficar claro aqui é que esse recurso não é decorrente de um empréstimo, ele é seu e você pode direciona-lo para realização do sonho de empreender. Obviamente irá exigir um retorno por esse investimento, mas não há juros nesse processo.

           2. Capital de terceiros:

O capital de terceiros é um recurso financeiro decorrente da realização de um empréstimo ou financiamento. Essa fonte de financiamento, em sua maior parte, é adquirida por meio de um contrato com um banco ou financeira.

Em troca desse empréstimo ou financiamento essas empresas cobram juros e você normalmente terá de pagar uma parcela mensal que cobrirá parte do capital que você pediu emprestado mais os juros decorrentes do contrato.

Dai você deve estar se perguntando, qual das duas opções é a melhor?

Não há uma resposta única para essa pergunta. Se você tem dinheiro disponível para investir do seu próprio bolso, na maior parte das vezes é a melhor opção. Principalmente para micro e pequenas empresas que necessitam se estabilizar no mercado.

Essa opção, de utilizar recursos próprios garante que você inicie seu empreendimento sem risco financeiro, ou seja, sem risco de não conseguir pagar os seus compromissos firmados com o banco ou financeira.

Por outro lado, se você não tem capital próprio para investir e tem o projeto de um empreendimento que você avaliou e acredita ser muito rentável, a alternativa é buscar recursos de capital de terceiros. Nesses casos, é imprescindível avaliar se o custo desse dinheiro, ou seja, se o juro que você vai pagar pelo empréstimo é inferior ao retorno do investimento que você vai realizar. Caso os juros sejam superiores ao retorno do investimento, você corre riscos eminentes de quebrar em pouco tempo.

Para você conseguir ter essa informação precisa realizar a análise do investimento, que já explicamos neste post “5 passos para tornar as finanças sua aliada no processo de abertura da sua empresa”.

 

Por fim quero fazer uma ressalva, se você está no segundo grupo de empreendedores, ou seja, que necessita de capital de terceiros, vale se atentar para alguns detalhes. Uma pesquisa realizada pela CDL/SPC Brasil evidenciou que 34% dos micro e pequenos empresários consideram difícil contratar crédito. “O excesso de burocracia e de garantias exigidas pelas instituições financeiras desponta como o principal entrave, citado por 66% dos empresários consultados, acompanhado da percepção de juros elevados (49%)”.

Tal contexto dificulta a utilização de capital de terceiros, fazendo com que 68% dos micro e pequenos empresários busquem tocar seus negócios com recursos próprios.

Portanto, se você vai empreender o ideal é que se planeje com bastante antecedência e que consiga ter no mínimo parte do capital próprio para iniciar as suas atividades.

 

 

Até logo,

Jéssica Pulino Campara.

2019-06-13T10:31:48+00:00

Leave A Comment